Soraya Vidya

“Mahamudra significa um orgasmo total com o Universo. Se tiveres amado alguém, algumas vezes sentiste uma fusão, uma submersão – os dois já não são dois. Os corpos permanecem separados, mas há algo entre esses corpos, algo como uma ponte, uma ponte de ouro, e a duplicidade interior desaparece. Uma vida-energia vibra em ambos os pólos. Se isso já aconteceu contigo, poderás compreender o que é Mahamudra. Milhões e milhões de vezes mais profunda, milhões e milhões de vezes mais alta é Mahamudra. É um orgasmo total com o Todo, com o Universo. É fundir-se na fonte do Ser.” Osho

Tantra: a vida se torna nosso amante

A palavra Tantra tem alguns significados: “Tan” – que significa expansão e “tra”- liberação; também significa tecer, tecido, trama ou teia, assim o significado da palavra nos remete à teia da vida e a visão da unidade, pois o Universo é um tecido onde tudo se inter-relaciona num processo contínuo. O Tantra possui raízes na antiga Índia, é vasto e possui vários aspectos e expressões como por exemplo Shivaísmo de Caxemira, Bihar Yoga Bharati, Budismo Vajrayana, a visão do mestre Osho, entre outras. Para todas essas abordagens, embora por métodos diferentes, o Tantra visa expandir a consciência e alcançar a iluminação ou liberação, através do despertar do potencial latente, chamado kundalini.

O Tantra nos ensina como liberar, expandir e circular mais energia por todo o corpo. As frequências da vibração energética que flui através do corpo são mais elevadas e a sintonia com novos níveis de pulsação pode ocorrer. A pulsação torna-se mais fina e profunda e em todas as células despertam novos níveis de consciência.

Em algumas comunidades mais tradicionais e até mesmo consideradas “selvagens” de acordo com alguns estudos antropológicos, a união sexual foi experimentada com inocência e naturalidade. O sexo simbolizava também uma analogia da unidade essencial que caracteriza a essência do ser humano, masculino e feminino num só. No entanto, no decorrer do processo de civilização muitas repressões advindas da educação, das religiões e do patriarcado bloquearam e distorceram a expressão natural da energia mais poderosa e criativa que pulsa no ser humano. Isso, somado à desconexão com o próprio corpo, o ritmo de vida acelerado e o crescimento da pornografia trouxeram muitas dificuldades para a maioria das pessoas viver plenamente sua sexualidade e intimidade nos relacionamentos.

A nossa energia sexual é a energia da nossa criação, o nosso direito de nascimento. Tantra nos convida a ir além das crenças e limitações quanto ao poder criativo da sexualidade. Através do trabalho com o Tantra é possível purificar os traumas e condicionamentos em torno da energia sexual e desenvolver uma qualidade de presença e amorosidade. Quando a energia vital flui em direção ao coração, uma ponte de consciência é criada e surgem, naturalmente, qualidades como segurança, ternura e vitalidade.

O mestre espiritual indiano Osho trouxe uma visão tântrica afirmativa da vida, enraizada na aceitação, na meditação e celebração da existência. Uma visão que abraça toda a experiência humana, desde o sexo a supraconsciência, entendendo que a transcendência do sexo pode vir através de uma vivencia plena, consciente e natural da sexualidade, muito além de toda repressão, culpa e vergonha que foi cultivada por anos de patriarcalismo e condicionamentos sociais e religiosos. Devido a sua ousadia em abordar esse tema com muita profundidade e estimular a experiência prática do Tantra, Osho foi muito mal compreendido. Mas na verdade, o que ele enfatizou foi a transcendência do sexo, a busca do êxtase com a existência, a expansão de consciência e o amor como a única religião – não o amor direcionado a alguém, mas o estado amoroso da nossa natureza essencial.

Tantra fala da sacralidade dentro de cada um, assim como honrar o corpo como um templo e também nos dá ferramentas para purificar nossos pensamentos, emoções, crenças e o ambiente. É uma forma consciente de vida que expande a nossa interconexão com todos os seres. Essa visão traz o aspecto sagrado da união sexual, pois através da sexualidade consciente pode-se atingir um desenvolvimento espiritual.

Mahamudra e a “Experiência Oceânica”

O Tantra não se restringe apenas a uma nova atitude perante o sexo, trata-se de um caminho muito mais abrangente referente à vida como um todo, através da espontaneidade, aceitação e abertura para o sentir pleno e dizer SIM para si mesmo e a existência. A abordagem tântrica afeta todo o SER, a maneira de olhar a vida, de se relacionar com as pessoas e com a natureza, como encarar os desafios e assim por diante, pois nos permite conectar mais profundo conosco, com os outros e com todas as formas de vida. Isso se dá a partir da aceitação e integração de luz e sombra, feminino e masculino, primeiramente em nós mesmos e que naturalmente irá influenciar nossa conexão com os demais.

Mahamudra em sânscrito significa “O Grande Gesto” de experiência do orgasmo com o universo, sendo o Tantra o caminho para chegar a este estado sublime, através do relaxamento, entrega e permissão para se dissolver no vasto e profundo oceano existencial. Isso envolve presença, mistério, respeito, amor, profundidade, consciência e alegria. E para saborear o Tantra é preciso receber a transmissão, passar pela experiência e se entregar a essa arte – conhecer e mergulhar nos mistérios do corpo, da energia e celebrar a graciosa comunhão com a vida. Assim, não há dependência do outro para viver o Tantra (embora o encontro seja sempre reverenciado), pois a vida se torna nosso amante.

error: Conteúdo protegido!!